PUBLICIDADE

Topo

Blog da Sophie Deram

"Enganar a fome" atrapalha o emagrecimento; entenda por quê

Sophie Deram

29/11/2017 04h10

Crédito: iStock

"Truques infalíveis para enganar a fome." Já se pegou procurando este tipo de dica na internet? Pois bem, existem muitas táticas que prometem diminuir nosso apetite, mas a verdade é uma só: é impossível enganar nosso cérebro por muito tempo.

Ao contrário do que se possa imaginar, não é o estômago que controla a nossa fome e, sim, o cérebro. Sendo assim, se ele pede uma coisa e você dá outra, você pode se sentir frustrado e não vai ficar satisfeito. Se não respeita e não dá tanta atenção para suas vontades e sensações, pode acabar perdendo o controle do seu apetite.

Portanto, quando sente uma fome violenta e tenta despistar comendo alguma "bobagenzinha", mais cedo ou mais tarde essa fome vai retornar. Só que maior! E você vai acabar comendo mais do que se tivesse ouvido seu corpo na hora em que ele pediu. Isso gera muita frustração (por não comer o que quer, na hora que quer) e ansiedade (medo de engordar).

Por isso é tão importante respeitar nossa fome. E não ter medo dela ou tentar enganá-la.

É preciso entender a fome como um sinal importante do nosso corpo. Ter fome é sinônimo de saúde! Indica que tudo está indo bem no seu organismo e, por isso, ele precisa de energia –por meio da ingestão de alimentos– para continuar cumprindo as suas funções vitais.

É bastante comum as pessoas se queixarem por sentir muita fome. Se é o seu caso, faça uma análise rápida: você costuma parar para fazer as refeições principais, prestando atenção ao que está comendo? Ou come tudo rápido, fazendo dez coisas ao mesmo tempo? Você está de dieta? A dieta só aumenta o apetite! Tudo isso impacta o equilíbrio do seu organismo.

Outros dois fatores importantes a serem observados são variedade e regularidade. O cérebro adora isso! Se você conseguir fazer pratos ricos em diversidade e qualidade e comer respeitando uma certa rotina, não vai precisar enganar sua fome. Porque ela estará mais tranquila.

Evite as privações e não acumule vontades

O costume de "enganar a fome" geralmente vem acompanhado de outro bastante comum, que é o famoso "chutar o balde". Quando o cérebro pede uma coisa e você não dá, ele entende isso como uma privação.

E quem se priva muito fica acumulando vontades. Uma hora, a pessoa não aguenta mais e "se dá o direito". E aí, o que acontece? O exagero! Claro que a pessoa vai acabar comendo em grande quantidade depois de passar tanta vontade.

É o mesmo caso de quem faz despedida da comida. "Vou comer bastante chocolate no fim de semana, porque segunda começo na dieta pesada." Isso não funciona! Aliás, esse é o melhor jeito de engordar. Colocar alimentos na posição de "proibidos", porque "engordam", só faz aumentar o desejo e os episódios de exagero e culpa.

Se a pessoa comer tudo o que gosta, só que de forma moderada e em paz, se permitindo, não vai precisar "se despedir" o tempo todo. Para que fazer despedida se posso comer amanhã ou quando eu quiser? Pense nisso e passará a enxergar o ato de comer com naturalidade e não com dúvidas, angústias e medos. Sai a sensação de proibição e entra o prazer consciente.

Muitos pacientes relatam que, ao se permitirem comer determinadas coisas que julgavam "engordativas", acabaram diminuindo a obsessão por estes alimentos. "Dra. Sophie, depois que passei a poder comer chocolate, não quero mais. Tem dia que nem tenho vontade." Este tipo de narrativa é verdadeira e recorrente no meu consultório.

Faça as pazes com a comida

Por isso sempre recomendo fazer as pazes com a comida. Essa é a forma mais eficiente de se chegar a um peso saudável, baseada em uma alimentação tranquila e sem neuras, fácil de sustentar a longo prazo. E sabe o que mais? A ciência mostra que é o melhor caminho para prevenção de obesidade e transtornos alimentares.

Uma boa relação com a comida tem a ver com prazer e muita gente acha que só é possível ter prazer comendo muito. Mas isso é um equívoco: comer com prazer é diferente de comer com gula.

Comer não deveria ser uma grande preocupação e, sim, um momento de alegria e bem-estar. Então, se tem fome ou vontade de comer alguma coisa, não tente enganar seu cérebro: coma e aproveite o momento presente! Um peso saudável e sustentável será a consequência disso.

Bon appétit!

Sophie Deram

Sobre a autora

Sophie Deram é uma nutricionista franco-brasileira, autora do best-seller “O Peso das Dietas”, palestrante, pesquisadora e doutora pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) no departamento de endocrinologia. Defende a importância do prazer de comer para a saúde e a ideia de comer melhor e não menos. Sophie não acredita nas dietas restritivas e no “terrorismo nutricional”. Desenvolve programas online para transformar a relação das pessoas com comida e ensina profissionais de saúde sobre nutrição que alia ciência e consciência.Leia mais no site da Sophie Deram: https://www.sophiederam.com/br/

Sobre o blog

Dicas, reflexões e estudos sobre a relação do nosso corpo com a comida, com foco em alcançar uma relação tranquila com os alimentos e, assim, obter um peso saudável. Esse é um espaço que passa longe dos modismos alimentares. Aqui promoveremos mudanças de hábitos que vão te ajudar a viver melhor. Acredito que o ser humano se nutre de alimentos e sentimentos.