Nutrição Sem Neura

Categorias

Histórico

Mindful eating: veja 4 dicas para aprender a comer de forma consciente

Sophie Deram

06/12/2017 04h15

Crédito: iStock

É segunda-feira e você já acordou atrasado. Não vai dar tempo para o café da manhã… Justo hoje que você tem uma reunião na hora do almoço! Bom, talvez uma barrinha de cereal engane o estômago. “Caramba, já são seis horas da tarde?!”. Faminto, devora o jantar tão rápido em frente à TV que nem se lembra o que comeu no dia seguinte. Se identificou com essa história?

É, com a vida agitada dos grandes centros urbanos, anda sobrando pouco tempo para algo que deveria ser primordial: nossa alimentação. Desacelerar é algo urgente. Felizmente, o mundo está abrindo os olhos para essa questão.

Isso explica o sucesso do conceito de “Mindfulness” (em tradução literal, “atenção plena”), que atualmente é tema de palestras, congressos, cursos e capas de revista. O método, baseado em práticas orientais, busca fazer as pessoas a se concentrarem no momento, no presente, para administrar melhor sensações como estresse e ansiedade.

Com o avanço dos estudos sobre o poder do comportamento na área da nutrição, o conceito ganhou alcance na esfera alimentar, o chamado “Mindful Eating“, também conhecido como “comer consciente”.

Trata-se de um conjunto de práticas que visam melhorar a relação das pessoas com a comida. A ideia é manter-se presente no ato de comer. Se concentrando no momento, sem grandes distrações, saboreando os alimentos.

Os benefícios do comer consciente

Você deve estar se perguntando a influência que o Mindful Eating tem na sua saúde e, consequentemente, no seu peso. Explico.

O fato de você prestar mais atenção durante as refeições faz com que você passe a saber melhor o que você realmente quer, o por que está comendo, se é fome ou vontade. E também perceber melhor a saciedade – afinal, nem todo mundo consegue notar quando está satisfeito. Sendo assim, o Mindful Eating é indicado como um método bastante eficaz para se manter uma relação tranquila com o ato de comer e, por consequência, chegar a um peso saudável.

O fato é que você vai passar a se satisfazer com uma quantidade menor de comida, pelo simples fato de estar mais atento sobre o que está comendo.

Comer de forma consciente aumenta o prazer e a sensação de autoconhecimento, reduz os episódios de exagero e culpa e o comer emocional. Além disso, amplia a nossa percepção sobre os sinais de fome e saciedade.

Mas afinal, como isso funciona, na prática?

Listei aqui 4 dicas que você pode tentar incluir de forma gradativa no seu dia a dia. São bem simples e viáveis, confira:

1. Percepção total: use os seus cinco sentidos na hora de comer
Ao mastigar, note os aromas, texturas e cores dos alimentos. Ouça o som que a mastigação produz no seu corpo. Mastigue devagar, afinal, leva cerca de 20 minutos para o cérebro perceber que estamos alimentados. Tente vivenciar de forma plena este momento: é possível fazer isso mesmo em um restaurante lotado, com apenas meia hora de almoço. A relação é entre você e seu prato. Experimente!

2. Respiração e curiosidade
Se você devora tudo muito rápido, sem prestar atenção, precisa comer mais para se sentir satisfeito. Então é importante exercitar o comer com mais atenção plena, mais devagar e com curiosidade. Alguns hábitos simples podem ser úteis nesse sentido, como descansar os talheres e respirar entre uma garfada e outra.

3. Coma com prazer, sem culpa. E sem gula!
Comer com prazer não é comer muito, até passar mal. É comer de forma consciente, saboreando, e na quantidade que nosso corpo pede. Sem culpa e sem gula! Lembre-se que não existem alimentos proibidos: com moderação, podemos comer de tudo, mas não tudo! Ao comer com prazer, ficamos satisfeitos mais cedo, e, consequentemente, teremos menos chance de comer em excesso ou por outra razões, como por motivos emocionais.

4. Respeite seus sinais de fome e saciedade
Ouvir o corpo passou a ser uma coisa difícil com tantas obrigações diárias. Especialmente para quem já passou por várias dietas restritivas. Se você se sente perdido na hora de se alimentar, comece fazendo as refeições principais com qualidade (café da manhã, almoço, café da tarde e jantar).

Durante a refeição, quando notar que está pensando em outra coisa, volte ao momento, perguntando-se: estou saboreando esta comida? Estou comendo devagar? Estou satisfeito? É assim que a gente sai do piloto automático e voltamos a entender quando estamos com fome e quando estamos satisfeitos. Que tal tentar praticar um pouquinho por dia?

Mudança gradual e efetiva
Nenhuma mudança acontece do dia para a noite. O importante é retomar essa consciência e incluir estes hábitos dia após dia, de forma gradual. O ser humano não se nutre só de alimentos, mas também de sentimentos.

Comer com atenção plena e sentindo prazer é um dos grandes presentes que você pode dar para o seu corpo.

Bon appétit!

Sobre a autora

Sophie Deram é uma nutricionista franco-brasileira, autora do best-seller “O Peso das Dietas”, palestrante, pesquisadora e doutora pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) no departamento de endocrinologia. Defende a importância do prazer de comer para a saúde e a ideia de comer melhor e não menos. Sophie não acredita nas dietas restritivas e no “terrorismo nutricional”. Desenvolve programas online para transformar a relação das pessoas com comida e ensina profissionais de saúde sobre nutrição que alia ciência e consciência.Leia mais no site da Sophie Deram: https://www.sophiederam.com/br/

Sobre o blog

Dicas, reflexões e estudos sobre a relação do nosso corpo com a comida, com foco em alcançar uma relação tranquila com os alimentos e, assim, obter um peso saudável. Esse é um espaço que passa longe dos modismos alimentares. Aqui promoveremos mudanças de hábitos que vão te ajudar a viver melhor. Acredito que o ser humano se nutre de alimentos e sentimentos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Topo