Nutrição Sem Neura

Categorias

Histórico

Quer chegar a um peso saudável sem sofrer? Então comece a cozinhar

Sophie Deram

31/01/2018 04h10

Crédito: iStock

Poucas coisas geram mais lembranças boas do que a cozinha de uma casa: é de lá que sai aquele cheiro maravilhoso de feijão fresquinho, bolo caseiro, carnes, massas, pãozinho de queijo e tantas outras delícias que compõem a nossa culinária. E, apesar da existência dessa saborosa memória afetiva, muitos de nós acabamos nos afastando da cozinha na vida adulta –ou por falta de tempo ou de criatividade em criar pratos. Há, ainda, os que se queixam da pouca habilidade com as panelas.

Eu entendo: também não tenho tempo e não sou nenhuma chef de cozinha. Mas posso afirmar que nada disso é desculpa para os que querem resgatar este hábito tão importante para a nossa saúde. É possível criar pratos simples e práticos se inspirando em receitas que vemos na internet e em tantos programas de culinária existentes hoje em dia. Não se cobre tanto, apenas tente.

Esqueça as dietas malucas. Cozinhe!

Grande parte das pessoas que quer emagrecer está em busca de resultados rápidos. Como consequência, acabam gastando dinheiro com produtos e modismos desnecessários, sem saber que a solução pode estar na feira mais próxima!

Comprar alimentos in natura e cozinhá-los em casa é uma mudança de comportamento bastante significativa para quem busca perder peso e não voltar a engordar. Comer comida caseira é uma das melhores formas de se manter com o peso em dia, prevenir a obesidade e o risco de diabetes. A ciência explica.

Uma pesquisa conduzida pela Universidade John Hopkins, nos Estados Unidos, que analisou mais de 9 mil refeições caseiras, mostrou que quem cozinha em casa tem uma alimentação mais saudável. Os pesquisadores notaram que os pratos feitos em casa contêm mais legumes, ao passo que apresentam menor teor de carboidrato e gordura.

E isso faz sentido: quando você cozinha, pode administrar melhor o sal, o açúcar e a gordura. Isso mexe positivamente com o padrão alimentar, porque o paladar fica habituado com essas preparações mais leves. O que significa que a pessoa também passa a ser mais exigente ao comer fora de casa e não aceita mais comer qualquer coisa, só porque está com fome. A saúde agradece… E isso reflete diretamente na balança.

Quanto mais simples e natural, melhor

Um estudo conduzido pela equipe do Departamento de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da USP (Universidade de São Paulo) mostrou que os alimentos ultraprocessados ocupam mais de 20% da ingestão calórica dos brasileiros. Isso se traduz em fast-food, bebidas açucaradas, salgadinhos, embutidos, bolachas e bolos prontos, entre outros.

Entendo que esses itens são uma “mão na roda” quando não temos tempo e acho, sim, que é possível manter alguns deles na dispensa para nos ajudar ocasionalmente no dia a dia.

Mas vale lembrar que, de acordo com este mesmo estudo e diversos outros, o alto consumo de alimentos ultraprocessados está ligado ao aumento de peso e à obesidade. E um dos motivos é que eles têm mais sódio, mais açúcar (que aparece com vários outros nomes nos rótulos) e menos fibras do que os alimentos naturais.

Então, o ideal seria incluí-os em menor quantidade na rotina alimentar. E isso acontece naturalmente quando você começa a cozinhar mais e incluir mais comida de verdade na sua alimentação.

Três dicas para quem quer começar a cozinhar

1. Não consegue cozinhar todo dia? Cozinhe uma vez por semana
Cozinhar é prática e, se você não costuma frequentar muito essa área da casa, vai demorar um bocado no começo. Então vá de leve: comece cozinhando uma vez por semana, ou somente aos finais de semana. Aos poucos, você vai pegando o jeito e essas rotinas se tornam mais automáticas. O tempo em pé na beira do fogão reduz consideravelmente depois que você desenvolve algumas habilidades!

2. Organize-se
Cozinhar envolve planejamento, e, para que o ato se torne mais convidativo, é bem melhor que você tenha em mente as coisas que quer preparar ao longo da semana e compre tudo o que vai precisar para isso. Anote os pratos que gostaria de fazer, depois, faça uma lista de compras. E vá á à feira! Aproxime-se dos alimentos, converse com os feirantes, experimente novos sabores. Este é um hábito muito saudável e prazeroso!

3. Divirta-se!
Cozinhar não precisa ser visto como uma obrigação ou um fardo. Envolva outras pessoas nessa rotina, filhos, parceiros, amigos. E mesmo que estiver sozinho, faça do momento algo prazeroso: coloque uma música que você gosta de ouvir e aproveite este momento para meditar e esquecer das obrigações do dia a dia. Cozinhar também pode ser terapêutico!

Acredite: essa é uma das mudanças de hábitos mais importantes para quem quer perder peso e não voltar a engordar. Você melhora a saúde e ainda agrada o seu paladar com uma comida carregada de carinho.

Bon appétit!

Sobre a autora

Sophie Deram é uma nutricionista franco-brasileira, autora do best-seller “O Peso das Dietas”, palestrante, pesquisadora e doutora pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) no departamento de endocrinologia. Defende a importância do prazer de comer para a saúde e a ideia de comer melhor e não menos. Sophie não acredita nas dietas restritivas e no “terrorismo nutricional”. Desenvolve programas online para transformar a relação das pessoas com comida e ensina profissionais de saúde sobre nutrição que alia ciência e consciência.Leia mais no site da Sophie Deram: https://www.sophiederam.com/br/

Sobre o blog

Dicas, reflexões e estudos sobre a relação do nosso corpo com a comida, com foco em alcançar uma relação tranquila com os alimentos e, assim, obter um peso saudável. Esse é um espaço que passa longe dos modismos alimentares. Aqui promoveremos mudanças de hábitos que vão te ajudar a viver melhor. Acredito que o ser humano se nutre de alimentos e sentimentos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Blog Nutrição sem neura
Topo