menu

Topo
Blog da Sophie Deram

Blog da Sophie Deram

Categorias

Histórico

Criança tem que beber água! Veja 4 dicas para incentivar hábito nos filhos

Sophie Deram

09/01/2019 04h00

Créditos: iStock

O hábito de tomar mais água ao longo do dia poderia ser uma grande ajuda  para enfrentar a crise mundial de obesidade infantil que vivemos atualmente. Sim, essa simples medida poderia ajudar milhares de crianças a melhorarem a qualidade diária da ingestão e crescer com um peso saudável, e, assim,  com um risco menor de desenvolver diversas doenças crônicas, como diabetes do tipo 2 e problemas do coração.

Muitos pais, educadores e profissionais de saúde acreditam em restrições, dietas ou mudanças drásticas na alimentação para lidar com crianças com sobrepeso ou obesidade. Só que, na maioria das vezes, o segredo está nos detalhes de uma mudança de estilo de vida e da alimentação. É preciso mudar alguns padrões para conseguir resultados eficazes.

As bebidas doces em geral estão sendo apontadas como uma das maiores preocupações quando olhamos os hábitos das crianças brasileiras e a necessidade de diminuir a quantidade de energia ingerida.

O suco de caixinha pode ser prático para colocar na lancheira. À noite, durante o jantar, a criança pode aceitar mais facilmente um copo de refrigerante do que um de água, que, muitas vezes, é taxado como "sem graça". Só que não podemos fechar os olhos para a grande quantidade de açúcar escondido nestes produtos, que estão presentes nas vidas das nossas crianças. E a bebida "zero açúcar" ou o uso de adoçante não é a solução: como já disse nesse artigo aqui.

O ideal, como eu sempre digo, é sempre privilegiar a água para se hidratar e deixar as bebidas doces para o ocasional. É importante sempre tomar o cuidado de consumir açúcar de forma moderada, de preferência, em preparações feitas em casa.

Os números comprovam que precisamos observar este hábito com mais atenção. Uma pesquisa publicada no European Journal of Nutrition realizada com crianças e adolescentes de 4 a 17 anos, em países da América Latina (incluindo o Brasil), mostra que a maioria não atinge a recomendação diária de consumo de água.

E como mudar esse quadro? Não tem outra saída, senão….tomando mais água. Eu entendo a praticidade, assim como a predisposição da criançada para o sabor doce. O problema é que quanto mais se acostuma com o gosto doce, mais fica difícil apreciar o sabor natural das coisas.

Um estudo do Ministério da Saúde mostra que 30% das crianças brasileiras tomam refrigerante antes dos dois anos. Sim, antes dos dois aninhos! Esse é um momento muito importante para a construção do paladar, então, o ideal seria não oferecer tantas bebidas doces, e menos ainda opções industrializadas, como parte da rotina alimentar.

Então, se você tem criança em casa, independentemente dela estar ou não com sobrepeso, que tal incentivar o consumo de água com mudanças simples? Reuni 4 dicas para quem não sabe por onde começar.

Dica 1 – Não tenha dó do seu filho por oferecer água no lugar do suco

Não foi só uma, mas foram várias vezes que eu ouvi mães e pais se lamentando quando eu recomendei hidratar a criança só com água. "Ah, mas tadinho…" é algo que costumo ouvir. Uma vez atendi uma paciente de apenas nove anos de idade, com obesidade, que tomava um litro de suco de uva integral por dia. Você pode imaginar a quantidade de açúcar que ela tomava por dia? Incentivar ela a incluir água no cotidiano foi uma das primeiras medidas que tomei, apesar da resistência da mãe!

Pois bem, não precisa ter dó: hábitos só são adquiridos através da prática. Seu pequeno pode achar chato no começo, pode reclamar, fazer careta. Mas vai acostumar o paladar em algum tempo.

Dica 2 – Quer suco? Então água primeiro!

Uma outra dica bastante eficiente é tentar sempre oferecer água para matar a sede, e não suco. Porque uma vez hidratada, a criança pode até querer o suco ou refrigerante depois, mas vai tomar menos … não vai matar a sede com a bebida doce.

O suco e refrigerante deveriam ser vistos como um prazer ocasional, e não como parte de todas as refeições. Senão fica difícil se interessar pela água mesmo!

Dica 3 – Diluir para diminuir

Para a reeducação do paladar, uma boa estratégia é a diluição. Se o seu filho tem muita dificuldade em tomar água, experimente misturar o suco com um pouco de água. Comece com pouco, para que ele não sinta tanta diferença, e vá aumentando aos poucos. A mudança, quando é gradual, fica mais leve e mais fácil de ser absorvida.

É interessante discutir essa mudança com a família toda, chegar a um comum acordo e mostrar o exemplo. Não tente esconder as mudanças do seu filho. Nada pior do que ele se sentir enganado!

Dica 4  – A lei da atratividade

Neste artigo, falo um pouco do quanto a disponibilidade de frutas e verduras e o fácil acesso influencia as nossas escolhas alimentares.

Pois o mesmo vale para água. Para adulto, costuma funcionar – para aqueles que não têm o hábito de tomar água, recomendamos colocar uma garrafinha em cima da mesa do trabalho, visível, para se lembrar ao longo do dia.

Para as crianças, é a mesma coisa: elas precisam ter acesso. Deixe uma garrafa bem bonita em um lugar onde ela possa ver e se servir, e em vários lugares da casa. Criança com sede toma água, acredite!

Aproveite o verão e seus dias quentes para tentar implementar essa mudança tão positiva junto da sua família.

Bon appétit!

Sobre a autora

Sophie Deram é uma nutricionista franco-brasileira, autora do best-seller “O Peso das Dietas”, palestrante, pesquisadora e doutora pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) no departamento de endocrinologia. Defende a importância do prazer de comer para a saúde e a ideia de comer melhor e não menos. Sophie não acredita nas dietas restritivas e no “terrorismo nutricional”. Desenvolve programas online para transformar a relação das pessoas com comida e ensina profissionais de saúde sobre nutrição que alia ciência e consciência.Leia mais no site da Sophie Deram: https://www.sophiederam.com/br/

Sobre o blog

Dicas, reflexões e estudos sobre a relação do nosso corpo com a comida, com foco em alcançar uma relação tranquila com os alimentos e, assim, obter um peso saudável. Esse é um espaço que passa longe dos modismos alimentares. Aqui promoveremos mudanças de hábitos que vão te ajudar a viver melhor. Acredito que o ser humano se nutre de alimentos e sentimentos.