PUBLICIDADE

Topo

Histórico

Categorias

Exagerou no doce na Páscoa? 4 dicas para lidar com os excessos sem dieta

Sophie Deram

15/04/2020 04h00

Crédito: iStock

É normal exagerar na comida, principalmente em festas e feriados: aniversários, confraternizações, Natal, Réveillon, Carnaval, e na Páscoa que passou há pouco. Comer é um grande prazer, comer juntos uma verdadeira felicidade.

Em momentos delicados e que provocam mudanças, como esse momento inédito de isolamento social, também podemos sentir que comemos mais.

O exagero alimentar pode acontecer com qualquer alimento, mas geralmente aqueles que têm maior densidade energética estão mais presentes nesses episódios e os alimentos doces, com certeza, são uns dos preferidos.

Depois desse feriado, é possível que você tenha comido chocolate demais e agora esteja fazendo uma dieta restritiva pós-páscoa.

Muitos vão incentivar dietas restritivas, dicas de detox e querer controlar a alimentação, mas isso pode levar ao descontrole. Por isso, trouxe 4 dicas para você lidar com o excesso de doce sem culpa e sem restrições.

Antes, vamos entender por que é tão comum exagerar no doce

Nosso cérebro foi programado com muitas características biológicas ao longo da evolução da espécie humana. Uma delas é a capacidade de detectar o sabor amargo dos alimentos, e como a maioria das substâncias tóxicas são amargas, percebê-las nos permite sobreviver.

A predileção pelo sabor doce também é uma característica adaptativa que contribui para a perpetuação da nossa espécie. O homo sapiens e muitos outros mamíferos apresentam um apetite específico pelo gosto açucarado. Provavelmente essa característica foi selecionada porque os alimentos doces constituem uma ótima fonte de energia rápida.

Não há como negar: gostamos muito de doce. O leite materno, que apresenta açúcar em sua composição, reforça essa preferência. Mas também o hábito de comer sobremesa ao final da refeição. Mesmo saciados, sempre há um espacinho na barriga para um doce, não é verdade?

O açúcar não é importante apenas por fornecer energia, comemos doce também porque é bastante agradável. Sentir o gosto açucarado aumenta os níveis de neurotransmissores que atuam no prazer, na recompensa e no bem-estar, como a dopamina ou serotonina.

Apesar das variações, não se conhece nenhuma sociedade que considere esse sabor como desagradável.

Hoje, o açúcar está muito presente na nossa mesa e de várias formas, por isso deveríamos falar de açúcares. Adoçamos nosso café diariamente com o açúcar de mesa e a indústria utiliza-os em tantos alimentos que nem imaginamos. Passamos a consumi-los em excesso. A ciência descobriu que esse consumo excessivo, juntamente com diversos outros fatores, poderia contribuir para o ganho de peso e para o desenvolvimento de doenças crônicas, como o diabetes.

O açúcar passou a ser visto como um veneno, o vilão da vez. Nessa sociedade da neura do emagrecer, que confunde saúde e magreza, muita gente sente culpa por comer doce. Isso pode ter acontecido com você após ter comido ovos de chocolate nesse feriado.
Mas fique tranquilo, você não precisa fazer uma dieta pós-páscoa por isso, nem parar de comer chocolate.

Exagerei no doce, o que fazer? Veja 4 dicas

1. Entenda que exagerar é normal

Se você acha que exagerou, fique sabendo que isso é comum e nosso corpo sabe lidar com excessos. É absolutamente normal comer mais quando estamos felizes, festejando e empolgados com algo em especial. Comer é um ato fisiológico e também psicológico. É normal também buscar reconforto, quando estamos tristes e estressados, através de uma comida que proporciona um alívio momentâneo.

O que pode ser um problema é quando a fome emocional se torna frequente, o único jeito de lidar com as emoções e traz prejuízos para a nossa saúde física e mental. Sendo assim, pode ser avaliada e tratada com a ajuda de profissionais especializados.

Se nessa Páscoa você comeu mais no almoço ou exagerou no chocolate, saiba que é normal e que uma dieta pós-Páscoa não vai ajudar nisso.

2. Identifique se exagerou no doce, ou simplesmente comeu doce

Agora que você já sabe que exagerar é normal, é preciso identificar se realmente comeu em excesso.
Na nossa sociedade surgem diversas recomendações e restrições alimentares. De acordo com elas, precisamos "cortar" o açúcar e eliminá-lo da nossa vida. Mas isso não é verdade e nem saudável e sustentável.

Com isso tipo de regras o ato de simplesmente comer doce pode levar você a achar que está comendo doce demais. Claro, se nos dizem que o normal é não comer doce de jeito nenhum, qualquer quantidade passa a ser considerada exagero e pode trazer culpa.

Por isso, antes de se martirizar, perceba se você realmente exagerou no chocolate. Ou seja, você comeu até ficar muito cheio ou mais do que é considerado normal e aceitável para o momento e para a maioria das pessoas?

Mesmo que a resposta seja "sim" e que você tenha comido além da conta, não precisa eliminar o doce da sua vida nem fazer uma dieta restritiva pós-Páscoa. Na verdade, a restrição alimentar pode até mesmo contribuir com o exagero, pois é possível que provoque mais vontade de comer doce.

3. Volte à sua rotina normal

Em vez começar uma dieta pós-Páscoa, restringindo a alimentação para compensar os excessos, retorne à sua alimentação normal. Confie no seu corpo. Não se culpe por esse ocorrido. Chocolate é só chocolate.

Determine horários para realizar as suas refeições, foque na sua saúde e esteja bem alimentado. Insira alimentos de todos os grupos alimentares, que irão fornecer todos os nutrientes que o seu corpo necessita, e dê preferência aos alimentos in natura e minimamente processados.

4. Por fim, coma com atenção plena

Em maior ou menor grau, todos nós comemos de modo inconsciente e de maneira automática. Questões emocionais, distrações, a exposição a determinados alimentos e o tamanho dos utensílios podem induzir ao consumo de uma quantidade de comida que não condiz com a nossa fome.

A atenção plena é uma prática que nos permite comer de forma mais consciente e menos afetados por esses fatores. A intenção é estar concentrado no momento da refeição e sentir mais satisfação.

Você pode tentar comer um chocolate com atenção plena. Basta se concentrar e degustar com calma, utilizando todos os sentidos. Sinta o sabor, o cheiro, a textura, perceba a aparência e ouça os sons que você produz ao mastigar. É possível que sinta muito prazer e se sacie com uma quantidade pequena de chocolate.

Experimente! Isso pode te ajudar a transformar sua relação com a comida e a comer sem culpa!

Bon appétit em casa!

Sophie Deram

Sobre a autora

Sophie Deram é uma nutricionista franco-brasileira, autora do best-seller “O Peso das Dietas”, palestrante, pesquisadora e doutora pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) no departamento de endocrinologia. Defende a importância do prazer de comer para a saúde e a ideia de comer melhor e não menos. Sophie não acredita nas dietas restritivas e no “terrorismo nutricional”. Desenvolve programas online para transformar a relação das pessoas com comida e ensina profissionais de saúde sobre nutrição que alia ciência e consciência.Leia mais no site da Sophie Deram: https://www.sophiederam.com/br/

Sobre o blog

Dicas, reflexões e estudos sobre a relação do nosso corpo com a comida, com foco em alcançar uma relação tranquila com os alimentos e, assim, obter um peso saudável. Esse é um espaço que passa longe dos modismos alimentares. Aqui promoveremos mudanças de hábitos que vão te ajudar a viver melhor. Acredito que o ser humano se nutre de alimentos e sentimentos.

Nutrição Sem Neura