PUBLICIDADE

Topo

Blog da Sophie Deram

Veja 8 dicas para meditar enquanto cozinha e aproveitar mais a refeição

Universa

16/09/2020 04h00

Crédito: iStock

Cozinhar é uma atividade que torna os alimentos mais comestíveis. Graças a ela pudemos consumir mais energia em um menor tempo e com isso ter um maior desenvolvimento cerebral.

Mas cozinhar também pode ser uma forma de meditação. Pegar um livro de receitas, ou mesmo um vídeo, que nos diz o que fazer com os alimentos pode se assemelhar muito a uma meditação guiada.

O ato de cozinhar no traz para o momento presente, pois é necessário se concentrar. As cebolas não se picam sozinhas e você precisa estar atento ao manusear a faca. Isso torna mais difícil que os problemas ou atividades futuras venham à mente.

Desse modo, cozinhar nos oferece uma ótima oportunidade de estar no aqui e agora, atento e consciente, em vez de distraído, estressado ou sobrecarregado.

Cozinhando você pode treinar a mente e entender o que significa o momento presente, apreciando com paciência e sem julgamentos e transformando um hábito diário em um momento de atenção plena. É também uma oportunidade de voltar a ter contato com os alimentos que consumimos.

Não é à toa que as cozinhas são o coração da casa. É nesse cômodo que nos reunimos, apreciamos a comida e saboreamos a riqueza dos ingredientes.

Se você se permitir, é possível cozinhar e meditar. Enquanto prepara uma comida deliciosa também relaxa e deixa seu cérebro descansar um pouco. Basta cozinhar sem distrações. Mas para quem não acha isso tão simples trago 8 dicas para ajudar nessa experiência.

1. Escolha uma receita

Você pode comprar um livro de culinária, buscar uma preparação na internet ou pedir a receita daquele prato maravilhoso que a sua mãe faz. Também não importa se resolveu cozinhar algo da sua cabeça. O importante é que seja um prato que aprecie. Depois de escolhida é só se organizar para comprar no mercado os ingredientes que não têm na sua casa.

2. Concentre-se

Simplesmente faça uma coisa de cada vez, sem pressa. Deixe o celular de lado, use fones de ouvido se alguém estiver assistindo televisão, ou coloque uma música agradável para tocar.

Ao focar sua atenção nas atividades da cozinha você pode ter uma experiência de meditação, como também pode ser mais fácil lembrar de determinadas coisas, como onde está a tampa daquele recipiente ou se algum alimento está acabando e é preciso comprar mais.

3. Traga ordem para o caos

Que tal deixar tudo organizado antes de efetivamente começar a cozinhar? Separe, higienize, corte os alimentos e organize-os em tigelas. Isso vai tornar a tarefa de cozinhar mais simples e fácil.

Quando dividimos as atividades em etapas menores elas parecem menos complexas e desafiadoras. Portanto, você pode pensar em diversas etapas para o pré-preparo, preparo e limpeza. Não tenha pressa.

4. Siga a receita

Preparar uma receita, seguindo um passo a passo pode melhorar a capacidade de concentração das pessoas que nesse caso podem praticar uma sequência de tarefas que será utilizada no dia a dia. Isso pode contribuir com um tratamento terapêutico se pensarmos naqueles que sofrem com depressão e que podem ficar paralisadas diante de pequenas tarefas do cotidiano, como levantar da cama.

Também não esqueça de colocar um pouco de afeto nessa receita. Mesmo se você estiver apenas fazendo um sanduíche, a comida fica muito melhor quando colocamos um pouco de amor nela. Concorda?

5. Aprecie a refeição

Agora que você terminou a receita, o que acha de continuar o exercício de meditação? Na cozinha, podemos nos conectar com nossos sentidos, nos reunir com familiares e amigos e encontrar momentos de alegria. Aproveite para partilhar a comida, comendo com atenção plena, ou tendo uma alimentação consciente.

Para isso, deguste os alimentos, utilizando todos os sentidos. Coma com os olhos, depois sinta o gosto, o cheiro, a textura dos alimentos na boca e os ruídos que você provocar ao comer, sempre ouvindo os sinais de fome e saciedade do seu corpo.

6. Não faça julgamentos sobre os alimentos

Uma das coisas que a meditação nos ensina é a não julgar nossos pensamentos. Eles podem aparecer e a única coisa que temos que fazer é mandá-los embora.

Quando se trata da comida é muito comum principalmente para quem ainda não conseguiu abandonar a mentalidade de dieta – julgar o que comemos. Ou seja, pensamos "essa comida é gordurosa", "tem muitos carboidratos" ou "é saudável".

Essa atitude pode acontecer involuntariamente e contribui muito para sentirmos culpa ao comer. Tente não fazer julgamentos, simplesmente aprecie!

7. Conecte-se com a comida

A menos que você seja um agricultor, nos últimos tempos todos nós estamos cada dia menos conectados com a comida. Não fazemos ideia de onde vêm os alimentos antes de chegarem embalados no supermercado. Isso é uma grande perda, pois comer nos oferece uma grande oportunidade de estarmos mais próximos da comida.

Quando paramos para pensar em todas as pessoas e atividades envolvidas em uma refeição, desde a plantação, colheita, passando pela estocagem nas prateleiras do mercado até o momento que o alimento é preparado e chega a nossa mesa, é difícil não se sentir grato ou conectado.

Essa conexão também está afetada se comemos ao mesmo tempo em que fazemos outras tarefas, pois fica difícil ouvir os sinais de fome e saciedade do nosso corpo. Isso acontece porque estamos distraídos.

Acho provável que você já tenha passado pela experiência de ir ao cinema com um saco cheio de pipoca e, antes de começar o filme, ter se perguntado quem comeu toda a pipoca.

Por isso, em sua próxima refeição experimente diminuir o ritmo e apenas comer, sem telas ou distrações, além de desfrutar da companhia com a qual você está compartilhando uma refeição e conversa, você terá mais prazer em sua comida, se sentirá mais satisfeito e seu sistema digestivo irá agradecer.

8. Aproveite os benefícios para a saúde de cozinhar

Por fim, aproveite todos os benefícios que cozinhar pode nos proporcionar. Além de ser uma forma de meditação, também nos permite consumir mais alimentos in natura e ter mais consciência do que estamos consumindo. Sem falar que quando conhecemos os alimentos e nos concentramos na hora da refeição fica mais fácil comer com prazer e sem culpa!

Bon appétit!

Sophie

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Sophie Deram é uma nutricionista franco-brasileira, autora do best-seller “O Peso das Dietas”, palestrante, pesquisadora e doutora pela Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) no departamento de endocrinologia. Defende a importância do prazer de comer para a saúde e a ideia de comer melhor e não menos. Sophie não acredita nas dietas restritivas e no “terrorismo nutricional”. Desenvolve programas online para transformar a relação das pessoas com comida e ensina profissionais de saúde sobre nutrição que alia ciência e consciência.Leia mais no site da Sophie Deram: https://www.sophiederam.com/br/

Sobre o blog

Dicas, reflexões e estudos sobre a relação do nosso corpo com a comida, com foco em alcançar uma relação tranquila com os alimentos e, assim, obter um peso saudável. Esse é um espaço que passa longe dos modismos alimentares. Aqui promoveremos mudanças de hábitos que vão te ajudar a viver melhor. Acredito que o ser humano se nutre de alimentos e sentimentos.